Segunda-Feira, 20 de novembro de 2017 Nossa história      

Notícias

EDUCAÇÃO É DEVER DE TODOS E É O PRIMEIRO PASSO PARA A TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE

Entenda a realidade do IDEB no município de Redenção do Gurgueia.

             Neste ano de 2017, ano ímpar, os municípios brasileiros têm multiplicado esforços no sentido de melhorar seus índices educacionais, através do IDEB: o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica que é detectado através das consideradas avaliações de larga escala, as conhecidas avaliações externas: Prova Brasil, ANA e outras.  

Os baixos índices educacionais preocupam muitos educadores, visto que, o Ministério da Educação através do compromisso “Todos Pela Educação” que firmou com os municípios, projetou numa escala progressiva metas a serem alcançadas até 2022. Com isso, através de ações compartilhadas, os entes federados desenvolvem ações com vistas a alcançar os resultados e atingir a média 6.0 (seis) que é a média de educação considerada mínima aos países com uma educação considerada boa. No entanto, muitos fatores estão envolvidos e contribuem para se alcançar essas metas.   

Muitos municípios vêm atendendo às expectativas do MEC, outros, inclusive superando  metas muito além do que fora projetado, mas existem aqueles que apresentam um IDEB aquém do estabelecido como é o caso, por exemplo, do município de Redenção do Gurgueia-PI que amarga resultados baixos.  Há que se levantar algumas hipóteses para justificação desses dados e aqui não se quer atribuir “culpas”, mas sim responsabilidades, porque sendo a educação uma tarefa de todos, todos deverão estar imbuídos de um propósito da melhoria da mesma.

O gráfico acima, demonstra a evolução do IDEB no município de Redenção do Gurgueia, em que se observa que a educação estava numa linha ascendente e nos anos de 2013 a 2016 é onde se constata um declínio. 

               Diante dessa realidade desagradável, muitas hipóteses poderão ser levantadas para justificar esses dados, o que fica evidente que os anos de 2013 a 2016, a existência de uma gestão inoperante, desfocada, intempestiva tem contribuído para isso, pois esses dados podem ser comprovados pelas ações inconsequentes: destruição de uma escola com mais de 600 alunos, a falta de oferta aos alunos de creche, perca de programas educacionais que auxiliam nas ações educativas do município, a inexistência da alimentação escolar, perda de mais de 200 alunos que não foram cadastrados no Censo Escolar, pagamentos atrasados, obras inacabadas (inclusive imperando ações da atual gestão através do PAR- Plano de Ações Articuladas) e muitos outros desmandos cometidos não somente na área da educação, mas em todos os setores da administração que, inclusive culminaram na eclosão de um das maiores operações do Estado do Piauí: a operação déspota.

Os atuais dados do IDEB que apontam o município de Redenção do Gurgueia numa escala gradativamente decrescente, refletem o ano de 2015. Esses dados foram divulgados em 2016 e ações de intervenções deveriam ter sido desenvolvidas.  Não se têm dados ainda referentes ao ano de 2017, ano em curso.  

Apesar dos muitos entraves deixados pelos anos anteriores, principalmente a instabilidade administrativa, o ano de 2017 apresenta-se como um ano desafiador para a atual administração de Redenção do Gurgueia, gestão centrada que é caracterizada pelo equilíbrio e, sobretudo, que prima pelo bem-estar das pessoas, por isso, já se pode respirar novos ares e aspirar a novos resultados.

 

Nesse sentido, o atual prefeito Dr. Macaxeira garante que: “a elevação do IDEB é apenas um dos grandes desafios, enfrentados pelo município através da secretaria municipal de educação, mas essa instituição, não fará sozinha,  nem tem poder para tal, é preciso uma soma de esforços. A devolução da escola tirada dos alunos pela gestão anterior, a recuperação dos alunos que ficaram excluídos, a oferta da merenda escolar em todos os dias letivos, a retomada das obras inacabadas, o planejamento estratégico com vistas a alcançar resultados e atingir metas, a prioridade pelo pagamento dos profissionais religiosamente em dias, que hoje é uma realidade, dentre muitas outras ações, são mecanismos que farão com que a nossa gente seja mais feliz, porque “cuidar de gente” é garantir o mínimo de dignidade”.